Enoturismo Brasil

 

 Enoturismo

     

Vinho & turismo,esta feliz combinação passou a denominar-se de     Enoturismo. No Brasil esta atividade vem crescendo e se consolidando cada vez mais. Muito embora, comparada com outras regiões vinícolas do mundo é uma atividade recente. 

1

     

 

Entre as regiões que acumulam conhecimento secular no assunto, estão, por exemplo, o prestigiadíssimo Vale Leire, na França, e o Vale D’Ouro, em Portugal regiões que possuíam  roteiros de visitas a cantinas e locais onde se produziam vinhos. Mas foi na Itália que começou a ser usado o termo enoturismo como uma atividade específica e não como apêndice de outros roteiros.O importante é que nas regiões vitivinícolas  a população possui melhor qualidade de vida.

            Como se sabe a vitivinicultura é uma atividade eminentemente integra tória e, o vinhateiro geralmente é uma pessoa alegre, descontraída e receptiva que se orgulha do que faz. O Turismo encontrou aí terreno fértil para prosperar e se consolidar. A uva e o vinho, como atração turística, no sul do Brasil, se deu através dos eventos que foram organizados, com a finalidade de promover e divulgar os produtos: uva e vinho.

            O primeiro evento que se tem registro foi em 1913 (Garibaldi-RS), mas somente em 1931 é que começou ter maior vulto quando da realização da 1 ª Festa da Nacional da Uva ( Caxias do Sul-RS ). Na década de 60 outros eventos surgiram como: Festa Nacional do Vinho; Festa do Champanha; Festa da Vindima e dezenas de outros. Com os eventos vieram à visitação as cantinas, parreirais etc.

            Após a segunda guerra mundial (1950), algumas Empresas vinícolas começaram abrir suas portar para a visitação turística. A Michelon S/A, de Caxias do Sul e a Dreher S/A de Bento Gonçalves foram às primeiras. Com o passar do tempo outras vinícolas se integraram e a vitivinicultura passou a ser o carro-chefe na promoção e divulgação da região. Tornando-se, hoje, um extraordinário negócio tanto para as empresas como para as agências de viagens, operadoras turísticas e essencialmente para o turista.

            Visitar uma cantina, conhecer o processo de elaboração dos vinhos e derivados, conhecer a história, tradição, folclore, gastronomia e, principalmente degustar e adquirir produtos diretamente do local da fabricação é um negócio que vem crescendo dia-a-dia. Por isso muitas empresas estão inovando, revendo conceitos, reavaliando comportamentos, remodelando instalações, criando novos roteiros, acrescendo atrações e apresentando curiosidades, a fim de se tornarem um diferencial. Isto é: apresentar algo diferente, sair da mesmice, se aprimorando e com isso chegando mais perto, do que realmente o turista deseja.

            Novas idéias, novos planos, novas estratégias capazes de aproveitar o máximo todas as vantagens que o enoturismo oferece. “Explorar o turismo, sem explorar o turista” é a grande meta das Empresas.

   Continuar | Clique aqui

 

"Enoturismo é um fator de integração

e dignificação humana."

   

Voltar Menu Principal